• Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193, Centro Político.
  • (65) 3644-3666

Governo prevê 6 milhões de hectares para manejo florestal sustentável em Mato Grosso, estimativa é meta para a COP-21


As áreas passiveis de ‘manejo florestal sustentável’ em Mato Grosso, deverão saltar de 2,8 milhões de hectares, para 6 (seis) milhões nos próximos anos. A previsão foi apresentada nesta quinta (26), no palácio do Governo e faz  parte do plano de metas do Estado para a COP-21. O encontro foi conduzido por Ana Luíza Peterlini, secretária do Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema), e contou com  a presença do Governador Pedro Taques, Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e demais integrantes da conjuntura público/ privado.

Na ocasião, Peterlini ressaltou que Mato Grosso tem uma das maiores áreas territoriais do país, e que conta com a parceria do setor de base florestal para tornar possível a elevação das áreas de manejo florestal sustentável, para 6 (seis) milhões de hectares.

“Temos uma expansão territorial de 903 milhões de quilômetros quadrados, e somos o Estado com maior uso de ocupação do solo chegando em 53% na Amazônia, 43% no Cerrado e ainda 7% no Pantanal. Além disso, temos 60% do território mato-grossense preservado. Com o apoio de todos, conseguiremos avançar nesse escopo e alcançá-lo até 2020”, destaca a secretária.

Para a meta de redução do desmatamento em 100% até 2020, a aposta esta na integração lavoura/pecuária, que pretende substituir 6 (seis), milhões de pastagens de baixa produtividade em cultivo de alta produtividade. Ana Luiza comenta que esse desafio elevará o cultivo de grãos, fortalecerá a pecuária e ainda valorizará o cultivo de florestas plantadas. Segundo ela, esse processo ainda auxiliará na recuperação do solo, e com isso novas áreas deixarão de ser abertas, culminando assim, na contribuição para  reduzir o desmatamento em Mato Grosso.

“Nosso Estado já alcançou 91% de redução de desmatamento e a Sema trabalha para intensificar estes números, com o apoio do setor publico/privado, cumpriremos a meta de eliminar o desmatamento e ainda levaremos crescimento para todos os seguimentos envolvidos”, ressalta Peterlini.

Durante a apresentação, Pedro Taques enfatizou que apesar de Mato Grosso apresentar estimativas ousadas, acredita na visão estratégica e na parceria entre o Governo e setor privado para alcança-las.

 “Sabemos que sozinhos não conseguiremos chegar a lugar algum, por isso conto com a parceria entre sindicatos, setores produtivos, entre outros… Para nós as alianças serão as chaves de alcance a cada objetivo imposto”, finaliza o governador.

COP-21

A Conferência das Partes, realizada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima será realizada em Paris, entre os dias 30 de novembro à 11 de dezembro. O encontro reunirá diversos países, e tem como principal objetivo reduzir os impactos ambientais causados pelo mau uso dos recursos naturais.


Ultimas Notícias Relacionadas

  • Dorval assume a presidência do Sindilam até 2022

    Hugo Fernandes | 10 de dezembro de 2019

    Leia Agora
  • Cipem participa do maior evento de madeira tropical do mundo

    Hugo Fernandes | 9 de dezembro de 2019

    Leia Agora
  • Cipem apresenta os desafios do setor em Curitiba

    Hugo Fernandes | 4 de dezembro de 2019

    Leia Agora
  • Setor de base florestal trabalha para reduzir a insegurança jurídica

    Hugo Fernandes | 3 de dezembro de 2019

    Leia Agora
  • Setor de base florestal apesenta área de manejo a órgãos de fiscalização e controle

    Hugo Fernandes | 27 de novembro de 2019

    Leia Agora
  • Cuiabá sediará evento nacional do setor de ‘Base Florestal’

    Hugo Fernandes | 27 de novembro de 2019

    Leia Agora