• Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193, Centro Político.
  • (65) 3644-3666

Diagnóstico florestal será apresentado em Seminário PDFS/MT em Cuiabá nesta quinta-feira


Um Raio-x do setor de base florestal de Mato Grosso, será apresentado nesta sexta-feira (10) em Cuiabá. O diagnóstico faz parte do Seminário PDFS/MT, do Programa de Desenvolvimento Florestal de Mato Grosso. O evento que já passou por Sinop, Juara e Cáceres, têm como principal pauta apresentar os primeiros resultados obtidos com a implantação do programa, elencando ainda os principais desafios encontrados pelo setor frente aos demais Estados.

Promovido pela Associação de Reflorestadores de Mato Grosso (Arefloresta), Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e Sedec (Secretaria de Estado de desenvolvimento Econômico) com apoio da Embrapa Agrossilvipastoril e Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt).

Nesta quinta o encontro tem início às 8h30 no Plenarinho na Fiemt (Avenida do CPA), e contará com a participação de vice-presidente da Federação das Indústrias no Estado de Alagoas (FIEAL), que apresentará um case de sucesso de florestas plantadas.
A agenda segue com ciclo de palestras para apontar a real situação do setor florestal mato-grossense, indicando as possíveis saídas para os entraves do segmento.

O superintendente de Desenvolvimento Florestal da SAG/Sedec, Juarez Pereira de Faria, que apresenta detalhes do PDFS/MT fará a abertura apontando o diagnóstico comportamental do setor de florestas.
As particularidades das florestas nativas do Estado será a segunda apresentação da manhã, com o diretor administrativo do Cipem e João Carlos Baldasso. Fausto Takezawa, presidente da Arefloresta dará sequência com a mesma temática, porém para florestas plantadas.

O ciclo segue com o professor Rafael Ferreira Alfenas, da UFMT, debatendo sobre ‘Como Contribuir para o setor de Florestas Plantadas de Mato Grosso’ e, para finalizar, o seminário traz a temática ‘Plano ABC: Linha de Financiamento’, com representantes do Banco do Brasil’. Para concluir o seminário os palestrantes debatem sobre os temas com os participantes.

PDFS

Tem por objetivo o desenvolvimento da cadeia produtiva da madeira no Estado. Visando o aumento da área do manejo sustentável e a otimização das operações de manejo e produção das florestas nativas bem como as finalidades de aumentar a disponibilidade industrial e ganhar escala, criando condições para aperfeiçoar as operações florestais diminuindo os custos de transação e promovendo a utilização de espécies secundárias, através do desenvolvimento de produtos e a agregação de valor, para competir no mercado.

Também ajudar na ampliação da área de plantações florestais e melhoria da produtividade e competitividade das florestas plantadas com as finalidades de aumentar a oferta de madeira competitiva para a indústria florestal e para geração de energia; visar ganhos de competitividade, com base no desenvolvimento tecnológico, nos aspectos do melhoramento genético, das melhorias nas técnicas de plantio, fertilização e de manejo e; agregar valor na base industrial para aumentar a participação no mercado nacional e internacional, entre outras.


Ultimas Notícias Relacionadas

  • Porque manejar as florestas naturais amazônicas significa conservá-las

    Daniela Torezzan - Assessoria de Comunicação CIPEM | 13 de março de 2018

    Leia Agora
  • Nota pública do setor florestal referente à queima de viaturas do Ibama em Guariba (MT)

    Assessoria Cipem | 8 de novembro de 2017

    Leia Agora
  • Evento de negócios florestais da madeira nativa começa hoje em Cuiabá

    Assessoria Cipem* | 18 de outubro de 2017

    Leia Agora
  • Florestal Tech: Exposição mostrará a versatilidade da madeira nativa de Mato Grosso

    Assessoria Cipem | 10 de outubro de 2017

    Leia Agora
  • Florestal Tech: Programação completa

    Assessoria Cipem | 6 de outubro de 2017

    Leia Agora
  • WWF-Brasil irá discutir legalidade da madeira no 1º Florestal Tech

    Juliane Ferreira / Portal Madeira e Construção | 5 de outubro de 2017

    Leia Agora