• Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193, Centro Político.
  • (65) 3644-3666

Câmara Técnica Florestal de Mato Grosso realiza primeira reunião do ano

  • Compartilhar:

Foi realizada nesta terça-feira (12), em Cuiabá, a 1ª Reunião Ordinária de 2019 da Câmara Técnica Florestal (CTF), que tem a atribuição de discutir e deliberar assuntos relativos ao setor em Mato Grosso.

Na abertura da reunião foi discutida a proposta de inclusão da espécie Ipê no CITES (sigla em inglês para Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção), feita pelo governo brasileiro, através do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), nos últimos dias do ano de 2018.

O diretor executivo do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), Valdinei Bento dos Santos, alertou que a medida foi tomada sem diálogo com o setor e compromete a utilização da espécie em Planos de Manejo Florestal já aprovados pelos órgãos ambientais e em execução, tanto em propriedades privadas quanto em concessões florestais federais. Os prejuízos se estendem ainda para a indústria madeireira, comércio, exportadores e importadores que trabalham com a espécie. No pedido, o Ibama apresentou apenas dados da comercialização com exportações, sem considerar o atual estoque florestal disponível, explorado através do Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS). “Incluir o IPÊ na CITES é o mesmo que pôr em xeque a sustentabilidade do manejo”, alega. Valdinei também disse que o assunto está sendo tratado no âmbito do Fórum Nacional da Atividades de Base Florestal (FNBF) e que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) será convidada a participar das próximas reuniões sobre a questão.

Ainda sobre a atuação do FNBF, Valdinei compartilhou que o Fórum está discutindo a possibilidade de apresentar minuta de lei geral que abarcará toda a legislação ambiental inerente ao setor florestal, pois como está atualmente, existe muita sobreposição e interpretações divergentes. O objetivo, segundo ele, é ter uma lei única, robusta, sólida e que traga segurança jurídica para a cadeia produtiva da madeira.

Os membros da CTF também conversaram sobre implantação do sistema SISFLORA 2.0, cuja previsão de implantação, segundo a Sema-MT, iniciará em dezembro deste ano, com 60 dias para concluir a migração dos dados e ter o tempo de adaptação do setor. A proposta é usar o período proibitivo da madeira (piracema da madeira) para concluir o processo com menos transtornos para o setor.

Outro assunto que será encaminhado pela Câmara Técnica é um estudo sobre o armazenamento de resíduo, pó de serra. A demanda surgiu depois que algumas empresas informaram terem sido notificadas pela Sema-MT por armazenarem pó de serra a céu aberto. Como não existe legislação específica sobre a questão, deixando margem para interpretações dos agentes em campo, o encaminhamento é para que a CTF faça uma pesquisa para emitir uma normativa a esse respeito evitando erros futuros.

Na sequência, a equipe da Sema-MT falou sobre o estudo em desenvolvimento que será a base técnica para propor uma alteração na resolução Conama 411, sobre a nomenclatura dos produtos bem como do Índice de Conversão Volumétrica o CRV. Os resultados da pesquisa em campo com diversas espécies florestais provam que não há diferenças significativas de quebra para os diferentes produtos produzidos a partir de uma tora. Com isso, fica descartada a preocupação dos órgãos ambientais de que no processo de transformação dos produtos há quebra na metragem cúbica com sobra de créditos que poderiam contaminar a cadeia produtiva. A previsão da Sema-MT é apresentar o relatório conclusivo com os dados da pesquisa até o final de fevereiro.

Participaram da reunião

Aylson Costa Oliveira – UFMT

Sueli Menegon Bertoldi – Sema-MT

Lilian F. Santos – Sema-MT

Tatiana Paula Marques de Arruda – Sema-MT/Unemat

Valdinei Bento dos Santos – Cipem

Bárbara Pimentel Ibanez – Cipem

Cibele Kotsubo – Arefloresta

Carlos Bolzan – Sedec

Renata Viviane da Silva – OAB-MT

Lucélia Avi – Famato

Diogo Augusto Souza – Amef

Sandro Andreani – Amef

Benedito C. Almeida – Amef


Ultimas Notícias Relacionadas

  • Cipem e Sebrae criam programa para desenvolver negócios florestais em Mato Grosso

    Daniela Torezzan - Assessoria de Comunicação CIPEM | 24 de maio de 2019

    Leia Agora
  • Sem lei que difere cobrança do ICMS não haverá sustentabilidade florestal nem econômica, aponta Cipem

    | 20 de maio de 2019

    Leia Agora
  • Cipem e sindicatos promovem curso prático sobre secagem de madeira em Mato Grosso

    Daniela Torezzan - Assessoria de Comunicação CIPEM | 13 de maio de 2019

    Leia Agora
  • Ibama faz visita para conhecer estudo que baliza pedido de alteração na classificação dos produtos florestais

    Assessoria de Imprensa do FNBF | 10 de maio de 2019

    Leia Agora
  • COMUNICADO sobre Operação Arquimedes

    | 25 de abril de 2019

    Leia Agora
  • Cipem e IDH firmam parceria para impulsionar cadeia produtiva do manejo florestal sustentável em Mato Grosso

    Daniela Torezzan - Assessoria de Comunicação CIPEM | 24 de abril de 2019

    Leia Agora