• Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193, Centro Político.
  • (65) 3644-3666

Por que conhecer o Wood Frame?


Foto: Projeto em Wood Frame realizado em São Luiz do Paraitinga, em São Paulo, utilizando Angelim. Foto: Tecverde

Esta tecnologia é amplamente utilizada em diversos países, como Canadá, Estados Unidos, Chile, Alemanha, Nova Zelândia e países escandinavos, e está chegando ao Brasil com força total. O wood frame utiliza painéis de madeira como matéria prima e possui diversas vantagens em relação às construções tradicionais de alvenaria, por isso está ganhando cada vez mais espaço no mercado nacional. Entre elas estão:

  • Economia – Cerca de 80% de energia é economizada durante a vida útil do imóvel;
  • Eficiência – Se comparada com a alvenaria, o Wood frame garante um processo de construção muito mais rápido (60% mais ágil);
  • Versatilidade – Qualquer tipo de imóveis pode ter como matéria prima de construção o Wood frame;
  • Sustentabilidade – É um material totalmente renovável. Além disso, sua utilização reduz cerca de 80% a emissão de gases do efeito estufa;
  • Moderno – Esse material alia tecnologia e inovação;
  • Vantagens internas – Os confortos térmico e acústico têm uma melhora considerável;
  • Obra limpa – Com o uso do Wood frame não se gera entulho;
  • Durabilidade – A técnica Wood frame é uma tecnologia de ponta e no quesito durabilidade ela é tão eficiente quanto à de alvenaria.

Este nicho é uma grande oportunidade de novos mercados para o setor florestal, e quem se preparar irá sair na frente. O sistema construtivo é homologado junto ao Ministério das Cidades e já existem centenas de projetos executados e em andamento em todo o território nacional. A recente política estadual de combate às mudanças climáticas de Mato Grosso já prevê a inclusão de madeira nas construções e obras públicas e esta é uma tendência crescente.

“O futuro da construção é esse, o wood frame vem para se consolidar junto a outros sistemas construtivos [… ]. A tendência é que o uso do wood frame venha a crescer e com isso gerar um custo-benefício maior tanto para o usuário quanto para empresas que venham a fazer o uso e investir  nesta tecnologia”. Maria Salette de Carvalho Weber, Coordenadora Geral do PBQP-H e representante o Ministério das Cidades.

O Cipem, em parceria com o WWF, está promovendo testes em 15 espécies diferentes de madeira nativa abundante em Mato Grosso para comprovar sua capacidade de aplicação neste tipo de construção. Além disso, o Cipem está discutindo junto ao Governo do Estado, através da Estratégia PCI, a implantação do projeto Indústria Florestal do Futuro (clique para saber mais), que fomentará o uso da madeira na construção civil em Mato Grosso.

PARTICIPE, CONHEÇA E SE PREPARE PARA O FUTURO!

 

Nos vemos no 1º Florestal Tech!

 

*Com informações da TecVerde

Ultimas Notícias Relacionadas

  • Sindusmad premia hoje alunos vencedores do 1º Concurso de Desenho Florestal

    CRISTIANE OLIVEIRA Da Assessoria | 18 de dezembro de 2017

    Leia Agora
  • Dal Bosco entrega moções de aplauso ao SIMNO

    | 14 de dezembro de 2017

    Leia Agora
  • Publicada Lei que dispensa ICMS da tora

    Cristiane Oliveira | 4 de dezembro de 2017

    Leia Agora
  • São Paulo sediará 2º Florestal Tech em julho de 2018

    Cristiane Oliveira | 4 de dezembro de 2017

    Leia Agora
  • Governo e setor de base florestal avaliarão valores de taxas ambientais em MT

    Fonte: Só Notícias | 16 de novembro de 2017

    Leia Agora
  • Cipem discute os desafios do manejo florestal com estudantes da UFMT

    Assessoria Cipem | 8 de novembro de 2017

    Leia Agora